Iranianos reelegem Rohani e sua abertura ao mundo

O presidente iraniano Hassan Rohani foi reeleito para um segundo mandato de quatro anos com 57% dos votos no primeiro turno das eleições presidenciais, uma vitória que deixa o caminho livre para prosseguir com sua política de abertura do país.

Seu principal rival, o candidato conservador Ebrahim Raisi obteve 38,3% dos votos.

"O presidente Hassan Rohani foi eleito presidente da República com 23,5 milhões de votos, 57% dos votos", anunciou o ministro do Interior, Abdolreza Rahmani Fazli, na televisão estatal.

O canal estatal Irib informou ainda que 41,2 milhões de iranianos compareceram às urnas, uma taxa de participação de 73%.

"A mensagem de nosso povo se expressou com clareza, Os iranianos escolheram o caminho do compromisso com o mundo, longe do extremismo", declarou Rohani na TV estatal.

"Os iranianos querem viver em paz e amizade com o resto do mundo, mas não aceitam nenhuma ameaça ou humilhação".

O resultado de Rohani é melhor que o da eleição de 2013, quando recebeu 18,6 milhões de votos (50,7%) entre os 36 milhões de eleitores.

"Permanecerei fiel a meu compromisso com vocês", escreveu no Twitter.

"O verdadeiro vencedor das eleições é o grande povo do Irã", completou.

O presidente, que durante a campanha eleitoral pediu o voto aos iranianos para continuar com as reformas internas e também com sua política de abertura internacional, terá agora o caminho livre para prosseguir o seu trabalho.

- Felicitações internacionais -

Vários líderes internacionais felicitaram Rohani por sua reeleição . O presidente de Síria, Bashar al-Assad, elogiou a vitória do colega iraniano e prometeu continuar a cooperação com Teerã, importante sócio de Damasco.

Assad ressaltou a necessidade de "continuar trabalhando e cooperando com a República Islâmica do Irã para fortalecer a segurança e a estabilidade dos dois países, da região e do mundo", afirma um comunicado da agência estatal SANA.

O presidente russo Vladimir Putin felicitou Rohani e confirmou que está "disposto a seguir adiante com a colaboração Rússia-Irã tanto na agenda bilateral como na internacional", segundo um comunicado do Kremlin.

A chefe da diplomacia europeia, Federica Mogherini, prometeu que a União Europeia seguirá adiante com o acordo de 2015 sobre o programa nuclear de Teerã.

"Os iranianos participam com paixão na vida política de seu país. Felicito o presidente Rohani pelo mandato claro que recebeu", escreveu no Twitter.

O guia supremo iraniano, o aiatolá Ali Khamenei, mais ligado ao rival Ebrahim Raisi, pediu a Rohani e seu futuro governo que tenham como "prioridade as pessoas desfavorecidas, as zonas ruais e pobres, assim como a luta contra a corrupção".

- Abertura ao mundo-

Rohani, 68 anos, disputou o segundo mandato de quatro anos contra Ebrahim Raisi, um religioso de 56 anos.

Eleito em 2013, Hassan Rohani dedicou a maior parte de seu primeiro mandato à negociação do acordo com seis grandes potências, incluindo os Estados Unidos, inimigo do Irã desde a revolução islâmica de 1979.

Em troca da suspensão parcial das sanções internacionais que afetam o Irã há quase 10 anos, Teerã se comprometeu a limitar seu programa nuclear a fins estritamente civis.

Mas o acordo não atraiu tantos investidores estrangeiros como se imaginava e não teve impacto na vida cotidiana dos iranianos, afetados por um índice de desemprego de 12,5% da população ativa, que chega a 27% entre os jovens.

As eleições aconteceram dois dias depois da decisão dos Estados Unidos de renovar a limitação das sanções contra o Irã, segundo o acordo nuclear de 2015.

Mas a desconfiança entre Teerã e Washington persiste e o governo americano mantém sanções relacionadas com o programa de mísseis balísticos iraniano

Categoria:Exemplo de categoria 2

Deixe seu Comentário